Pesquisar este blog

sábado, 21 de dezembro de 2013

VISITA NA PENITENCIÁRIA DE FLÓRIDA PAULISTA DISCUTE ORGANIZAÇÃO NO LOCAL DO TRABALHO, FALTA DE FUNCIONÁRIOS E FORMAÇÃO DAS COMISSÕES DE GREVE

VISITA NA PENITENCIÁRIA DE FLÓRIDA PAULISTA DISCUTE ORGANIZAÇÃO NO LOCAL DO TRABALHO, FALTA DE FUNCIONÁRIOS E FORMAÇÃO DA COMISSÃO DE GREVE.
100713visitaflorida
Realizamos nesta quinta feira dia 19/12 , uma visita na Penitenciária de Flórida Paulista , a presença do sindicato foi solicitada pelos funcionários , que não estão aguentando mais o excesso de trabalho, pois a superlotação junto com a falta de servidores, agrava a situação daqueles que bravamente exercem suas funções.
Mas tudo o que ocorre em Flórida Paulista , não é diferente do que ocorre em outras penitenciárias do Estado:

- a unidade tem capacidade para 768 e está com mais de 1700 sentenciados;
- tem deficit de aproximadamente de 37 servidores, mais 8 que estão designados em outras unidades, mais os companheiros que estão de licença médica.
- no turno que fomos tinha aproximadamente 15 Asps para tocar o plantão,  e a rotina todos conhecem e ela continua normal mesmo com todos estes agravantes: cozinha, escola, trabalho e atendimentos!
Conversando com os servidores chegamos a seguinte conclusão, com todos os problemas citados , chega no término do dia passamos o plantão em ordem, e na minha humilde opinião está na hora de nos organizarmos nos locais de trabalho , principalmente , para cuidar da nossa segurança!
Não posso tapar o sol com a peneira , mas para o desgoverno , mesmo com superlotação, falta de funcionários, falta de alimentação, falta de manutenção e tantos outros problemas, as prisões estão tranquilas, e cabe a nós servidores deste caos, mudar nossas atitudes dentro desse ambiente insalubre, pois senão acaberemos como muito de nossos colegas afastados do serviços por stress, depressão, ansiedade e outros problemas de saúde! As medidas sobre a unidade de Flórida iremos fazer comunicar as autoridades competentes ou não tão competentes assim , pedir funcionários e etc, mas está na hora de darmos um basta nesta situação começando por se organizar nos nosso locais de trabalho, não quero aqui ser o dono da verdade , mas creio que começarmos a pensar na nossa segurança  e da unidade , começaremos a travar este sistema, acompanhem meu raciocínio:
- quando assumirmos o plantão nas conferências dos materiais do setor e na contagem dos presos, devíamos ir até a chefia e elaborar um comunicado sobre as condições de trabalho do dia, comunicar a superlotação do raio, a falta de funcionário, pois sabemos que no setor onde era pra ter o zelador e o gaioleiro existe somente um pra fazer o trabalho de dois;
- seguindo a rotina do dia existem os atendimentos, que temos várias opiniões , alguns companheiros acham necessários e outros acham que não deveriam existir para garantir nossa segurança, mas temos que ter o bom senso , deve ter atendimento , mas de forma segura, atentando pela quantidade de sentenciados na radial ou galeria , respeitando o limite prudencial que acho ser o ideal na proporção de 2 funcionários por preso. Como ouvi dos companheiros de Flórida na correria , esquecemos da segurança e quando vamos ver tem um monte de sentenciados na radial aguardando atendimento, muito mais que o número de Asps, sugiro então aos colegas responsáveis pelos atendimentos, que variam de unidade pra unidade, a pensar na segurança e por questão de segurança também elaborarem um comunicado quando houver o excesso de atendimentos , e mais uma coisa ver se esses atendimentos foram autorizados pelos diretores responsáveis;
- outro ponto as escoltas, não somos obrigados a fazer veja o que diz   lei :
 Artigo 1º, da Lei Complementar nº 959, de 13.09.2004, são atribuições do Agente de Segurança Penitenciária desempenhar atividades de vigilância, manutenção da segurança, disciplina e movimentação dos presos internos em Unidades do Sistema Prisional.

2.2.1. A descrição detalhada das atividades:

2.2.1.1. registrar a inclusão de presos;

2.2.1.2. orientar os presos recém-chegados, explicando-lhes o uso das celas e dos diversos utensílios, bem como as disposições regulamentares da Unidade;

2.2.1.3. recolher os presos, escoltando-os até as celas e trancando-os com chaves de segurança;

2.2.1.4. fazer a chamada dos presos, para constatar possíveis faltas e providenciar as medidas que se fizerem necessárias;

2.2.1.5. abrir e fechar as portas das celas, utilizando chaves de segurança para liberar os presos para o cumprimento dos deveres na Instituição e atendimento de determinação superior;

2.2.1.6. vigiar e acompanhar os presos nas celas, no trabalho, nos exercícios físicos, na hora das refeições, nas visitas a médicos, dentistas, psicólogos, observando atentamente seu comportamento a fim de evitar rebeliões, agressões, fugas e outras infrações disciplinares;

2.2.1.7. examinar as permissões para entrada e saída de pessoas estranhas, observando rigorosamente, os critérios adotados pela Unidade para verificação da autenticidade das mesmas;

2.2.1.8. efetuar revistas pessoais nos visitantes dos presos e demais pessoas que adentram na Unidade, bem como nos objetos e pertences para apreender os que forem proibidos ou suspeitos;

2.2.1.9. revistar e registrar a entrada e saída de viaturas, para impedir a transgressão das normas fixadas pela Unidade;

2.2.1.10. realizar revistas nas dependências interiores dos estabelecimentos para fiscalização e apreensão de objetos proibidos pelo regulamento interno;

2.2.1.11. tomar providências quando do surgimento de desafetos entre presos recolhendo-os às celas disciplinares;

2.2.1.12. comunicar os casos de incêndio, desordem, tentativa de fuga, evasão e quaisquer ocorrências que caracterizem infração disciplinar ou irregularidade, frente às normas do Estabelecimento; e

2.2.1.13. observar a movimentação dos presos internos em unidades do sistema prisional; e

2.2.1.14. realizar outras atividades correlatas.
 Também é outro ponto que travaríamos o sistema , pois se o plantão já está desfalcado, ainda vai sair mais um ou dependendo do dia muito mais.

 Como estou relatando alguns pontos e acaba ficando meio chato vou descrever em outros posts no blog.
Por fim falamos com os servidores sobre a montagem da comissões de greve , por tudo que estamos passando e dando a manutenção da ordem e disciplina nas unidades temos que ser valorizados, vejo que muitos colegas estão zuando com o tal estado de greve, mas está é a hora da conscientização e mobilização,  a greve sempre será a última instância de uma negociação, por isso a montagem das comissões de greve , as discussões dentro de cada unidade é necessária, pois queremos melhores salários , mais queremos também condições para executar nossas funções, concordo que todos os sindicatos deixam muito a desejar nesta questão de organização, mas nós do Sifuspesp estamos indo nas unidades e esta discussão é salutar , se formos organizados nos locais de trabalho não seremos " bois de piranha de ningém, e o que falta é isso nos organizar dentro de cada unidade, hoje o Sifuspesp conta com diretores em aproximadamente 60 unidade e temos no sistema 157 unidades, se cada unidade tivesse no mínimo 1 diretor de base ou um representante pra passar a realidade de cada unidade ou a ação que será tomada ficaria muito mais fácil de nos organizar, lembrado que o sindicato é a categoria.
Como não sou o dono da verdade e nem quero ser gostaria de ouvir as opiniões dos colegas seja aqui nos comentários do blog ou pelo email jabasind@hotmail.com, cerio que somente com nossa união conseguiremos chegar a algum lugar , repito o que já disse : " Nossa união ou nossa extinção!

ESTIVERAM COMIGO NA VISITA O COORDENADOR DA REGIONAL  DE VENCESLAU GILBERTO ANTONIO E O NOSSO REPRESENTANTE NA UNIDADE RICARDO FERNANDO.

http://www.sifuspesp.org.br/index.php/materia-2/1858-170713escolta.html


Total de visualizações de página