Pesquisar este blog

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

PASTORAL CARCERÁRIA E DEFENSORIA PÚBLICA NA PENITENCIÁRIA DE VALPARAÍSO, VEJAM O OFÍCIO QUE O SIFUSPESP PROTOCOLOU

PASTORAL CARCERÁRIA E DEFENSORIA PÚBLICA NA PENITENCIÁRIA DE VALPARAÍSO, VEJAM O OFÍCIO QUE O SIFUSPESP PROTOCOLOU

COMPANHEIROS ONTEM ESTIVE NA PENITENCIÁRIA DE VALPARAÍSO, FUI ACIONADO   PELOS ASPS QUE SOLICITARAM A PRESENÇA DO SINDICATO PORQUE A PASTORAL CARCERÁRIA ESTAVA LÁ.
ELES ATENDERAM PRESOS, TIRAM FOTO DELES E DE ALGUNS SETORES DA UNIDADE, RECOLHERAM CARTAS, FIQUEI DAS 11 DA MANHÃ ATÉ AS 17HS QUANDO SAÍRAM E ENTREGUEI O OFICIO QUE FOI RECIBADO PELO PADRE VALDIR, EXPLIQUEI O CONTEÚDO DO OFICIO E SOLICITEI QUE O MESMO ENCAMINHASSE PARA O PADRE VALDIR DE SÃO PAULO QUE É O SUPERIOR DELE, TAMBÉM ENTREGUEI UMA CÓPIA PARA OS DEFENSORES .

 NA CONVERSA DEMONSTREI O INTERESSE DA CATEGORIA DE UM SISTEMA MAIS HUMANO PRA TODOS E AGUARDAMOS ESTA REUNIÃO PARA TRAÇAR UMA AGENDA QUE REALMENTE PROPORCIONE MELHORIAS NO SISTEMA PRISIONAL DE SÃO PAULO.
APROVEITANDO A VIAGEM, CONVERSEI COM O DG SOBRE AS DENUNCIAS PROTOCOLADAS NA SAP, CORREGEDORIA E CROESTE E O MAIOR OBJETIVO DO SIFUSPESP É QUE SEJAM ESCLARECIDAS PARA O BOM ANDAMENTO DA UNIDADE E ENQUANTO ESTE PROCESSO CAMINHAR QUE NÃO HAJA MAIS INTRIGAS ENTRE O CORPO FUNCIONAL E A DIRETORIA, O DG PAULO AFIRMOU QUE NÃO ACONTECERÁ NENHUMA RETALIAÇÃO , NA SEQUENCIA ME REUNI COM OS ASPS DO PLANTÃO PASSANDO A MESMA MENSAGEM, PARA QUE AGUARDEM AS INVESTIGAÇÕES E REFORCEM OS PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E QUE A ÉTICA PROFISSIONAL SEJA MANTIDA ATÉ O CASO SE RESOLVER! MATÉRIA COMPLETA NO SITE DO SIFUSPESP!


LEIAM O OFÍCIO


São Paulo, 01 de outubro de 2014.
Ofício nº 095/2014

O SIFUSPESP (Sindicato dos Funcionários do Sistema Prisional do Estado de São Paulo),
reporta-se a Vossa Senhoria, legítimo representante da Pastoral Carcerária, reconhecendo
toda a sua luta por um sistema penitenciário mais humano, digno e justo para manifestar
um pouco das agruras e desamparo pelos quais passam os funcionários do sistema
prisional do Estado de São Paulo.
Sabemos que toda e qualquer possibilidade de humanização e transformação para
melhorar os presídios paulistas passa necessariamente por uma valorização profissional e
melhores condições de trabalho dos funcionários do sistema prisional. Salientamos que os
presídios hiper lotados além de ser a maior afronta à dignidade da pessoa presa,
contribuem em muito para piorar nossas condições de trabalho. Ressaltamos também que
a falta de funcionários, um problema crônico nos nossos presídios, também contribuem em
muito para o agravamento desta situação. A inexistência de uma perspectiva positiva a
curto, médio ou longo prazo e principalmente a total falta de apoio, incentivo e valorização
por parte do governo estadual são fatores determinantes para desestimular, principalmente
os novos funcionários, a quererem continuar na profissão.
Enfatizamos que além destas agressões psicológicas que sofremos por parte do governo
tem se tornado rotina nos presídios paulistas as agressões físicas dos presos contra os
trabalhadores, seja decorrente do caos que permeia as nossas prisões (superlotação, falta
de profissionais da área da saúde e de medicamentos, lentidão e ineficácia do judiciário,
etc), ou mesmo encomendadas por facções do crime para fragilizar e intimidar o corpo de
funcionários. O assassinato nas ruas dos Agentes, decorrente do exercício da função, tem
proliferado, na maioria das vezes, escolhidas as vítimas de maneira aleatória, como simples
represália ou retaliação do crime organizado, objetivando, é claro, um controle total e
absoluto do tráfico dentro das prisões.
O SIFUSPESP reconhece a necessidade e legitimidade da busca por um sistema
penitenciário melhor. Acreditamos também que o real cumprimento da LEP (Lei de
execução Penal) e do Código de Execução Penal já contribuiria e muito. Convém reafirmar
que a recuperação, reeducação ou qualquer outra terminologia referente às condições do
preso pode caminhar paralelamente à segurança, vigilância e disciplina.
Finalizamos afirmando que por parte desta Entidade Sindical e com apoio de alguns líderes
de partidos da oposição na ALESP estamos colhendo assinaturas para uma CPI nos
Presídios Paulistas e contamos com o apoio da Pastoral Carcerária para podermos instalar
essa CPI, por tudo isso se faz necessário que possamos nos reunir para tratarmos desses
assuntos, assim como também aparar algumas arestas que possam existir.

Atenciosamente,
João Rinaldo Machado
Presidente

Ao
Padre Valdir João
Representante da Pastoral Carcerária




Total de visualizações de página